Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de maio de 2011

Nossa solidariedade aos trabalhadores e trabalhadoras da educação da rede pública estadual catarinense

Nós, trabalhadores e trabalhadoras de sindicatos cutistas das várias categorias da iniciativa privada e dos serviços púbicos das três esferas de Governo (Federal, Estadual e Municipal) no Estado de Santa Catarina, reunidos no Seminário Estadual “O papel do Estado na sociedade”, realizado nos dias 26 e 27 de maio do corrente, na Escola Sindical Sul, em Florianópolis, explicitamos nosso incondicional apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da educação da rede pública estadual catarinense.
Somos solidários aos companheiros e companheiras na reivindicação da sua pauta, por considerarmos a educação pública e de qualidade um direito de toda a população e um dever do Estado, o que se faz com trabalhadores e trabalhadoras valorizados.
Reforçamos a posição de todo o movimento sindical cutista de que a luta pela implantação do piso salarial profissional dos trabalhadores na educação deve seguir os preceitos da isonomia salarial e valorização da carreira.
Para nós, dirigentes sindicais de todo o Estado de SC, é inadmissível que no Estado catarinense, o quarto PIB da federação e com uma das melhores arrecadações do país, não seja reconhecida a possibilidade de pagamento da lei do piso nacional com a manutenção do plano de carreira do magistério catarinense.
Por último, apelamos ao bom senso do Governo do Estado em reabrir o processo de negociação para que, dentro do espírito democrático, sejam criadas as condições mínimas possíveis para avançarmos no pleito dos trabalhadores e trabalhadoras e, assim, por fim a greve.

Florianópolis, 27 de maio de 2011.

Dirigentes sindicais cutistas das várias categorias da iniciativa privada e dos serviços púbicos das três esferas de Governo (Federal, Estadual e Municipal) no Estado de Santa Catarina participantes do Seminário

Notícia Do Diário Catarinense

Professora que virou símbolo da luta por melhores salários apoia catarinenses em greve

Amanda Gurgel, do Rio Grande do Norte, diz que se sente a voz dos educadores

O 13º dia de greve dos professores da rede estadual de Santa Catarina foi marcado pela presença da professora do Rio Grande do Norte Amanda Gurgel em Florianópolis. A educadora, que fez sucesso na internet ao ser filmada discursando aos deputados sobre os baixos salários da categoria, deu um rápido recado e depois respondeu a perguntas dos professores catarinenses.

diario.com.br





30/05/2011 - 16h33min
Dos Gabinetes- Greve dos professores: Angela Albino cogita intervenção federal

A deputada Angela Albino (PCdoB) afirmou, nesta segunda-feira, que a decisão do governo de ignorar o acórdão do Supremo Tribunal Federal (STF) que ordena o pagamento do piso nacional aos profissionais da Educação pode deflagrar um processo de intervenção federal no Estado. 
Angela Albino destacou que a medida, excepcional, é respaldada pela Constituição Federal, que prevê, no inciso VII do artigo 34, a intervenção da União quando o Estado deixar de “prover a execução de lei federal, ordem ou decisão judicial”. 
A chamada Lei do Piso foi contestada pelo governo catarinense por meio de uma ação direta de inconstitucionalidade e foi julgada legal pelo STF, que determinou o seu pagamento aos professores e professoras. A decisão, no entanto, não vem sendo cumprida. 
“O governo catarinense trilha um caminho perigoso, com risco concreto de sofrer um pedido de intervenção por descumprir reiteradas vezes uma lei federal, violando assim a Constituição Federal”, destacou a deputada 
No início da tarde desta segunda, Angela Albino se reuniu com representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, o Sinte. A deputada articula para antecipar a audiência pública que debaterá, na Alesc, o caos no sistema estadual de Educação.

Esclarecimento do SINTE para a comunidade!!

http://www.youtube.com/watch?v=j5Sqv1ie8eo

segunda-feira, 30 de maio de 2011

30/5/2011 -
Impacto nas contas???

Governo de SC não repassou R$ 1,6 bi para a Educação
O governo do Estado deixou de repassar, nos últimos anos, a quantia de
R$ 1,670 bilhão para a educação e de R$ 627,700 milhões para o setor
saúde. É o que consta da página 92 do parecer prévio do conselheiro
Salomão Ribas Júnior nas contas do governo Luiz HenriquePavan de 2010.
Um substancioso documento técnico de 128 páginas traz, de forma
didática, apreciações judiciosas e esclarecedoras sobre a receita
tributária estadual e a destinação dos recursos aos poderes, aos
diferentes setores, às empresas e demais órgãos públicos.
Ao avaliar o funcionamento dos quatro fundos criados no governo Luiz
Henrique (Esporte, Turismo, Cultura e Fundo Social), o relator revela
que no quinquênio (2006-2010) o Estado deixou de repassar para a
educação e saúde a quantia de R$ 689,910 milhões, considerando o
desvio dos quatro fundos, cujo recursos não são computados na receita
tributária estadual. São, assim, excluídos da redistribuição aos
poderes e setores definidos na Constituição, como saúde (12%) e
educação (25%). Ressalta o documento, de forma textual: “Desse valor
(689 milhões), R$ 465,910 milhões foram subtraídos da educação e R$
223,640 milhões da saúde”.
O relator somou, também, os valores destinados ao pagamento de
inativos na saúde e na educação e o que foi contabilizado como
investimento nas duas áreas. Chegou às somas de R$ 1,210 bilhão não
aplicados na educação e R$ 404 milhões não destinados à saúde. Ele
lembrou decisão do TCE determinando à Secretaria da Fazenda que inclua
a receita do Fundo Social na base de cálculo para aplicações mínimas e
constitucionais na educação e na saúde. A Fazenda insurgiu-se contra a
decisão. O processo tramita no Tribunal de Contas. É relatado pelo
auditor Cléber Muniz Gavil.
(do jornalista Moacir Pereira)
Os e-mails enviados ao legislativo surtiram efeito até nos deputados da base aliada do governo que não quiseram  arriscar-se pagar a conta político-eleitoral

Assembléia não vota MP do piso sem acordo com professores

30 de maio de 2011

Os professores da rede estadual de ensino entram hoje no décimo terceiro dia de greve conquistando o mais importante aliado político desde que o movimento foi deflagrado no dia 11 de maio: o parlamento estadual.
O presidente Gelson Merísio(DEM) já comunicou ao governo que a Assembléia Legislativa só votará a medida provisória assinada pelo vice-governador Eduardo Moreira(PMDB), fixando o piso para os níveis inferiores do magistério, depois de acordo político com o Sinte, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação. Sem acordo não haverá tramitação da matéria no legislativo. Está, assim, sepultada a ameaça de rolo compressor. O governador tem maioria confortável na Assembléia Legislativa, mas os deputados não tem disposição de um confronto com o magistério, pagando a conta político-eleitoral de equívocos na condução do processo. Como os professores não aceitam a medida provisória e estão até fazendo uma forte campanha em todo o Estado, com apelos aos 40 deputados para que rejeição liminar, é de se concluir que o ato governamental não deverá prosperar, embora já esteja produzindo seus efeitos, com força de lei.
Na base governista ficou claro que o governo cometeu uma sucessão de equívocos e avaliou muito mal o movimento do magistério. Em primeiro lugar, a proposta do secretário da Educação, Marco Tebaldi, propondo o pagamento do piso, como remuneração. Desconheceu o teor da lei federal 11.738, que fixou o piso equivalente a vencimento básico e, sobretudo, a decisão do Supremo. Depois veio a falta de informação sobre a real disposição dos professores, que realizaram assembleia estadual inédita e uma manifestação singular, com adesão expressiva em torno de um único objetivo. O governo apostou no esvaziamento, quando decidiu pagar o piso só para os níveis salariais mais baixos. Nem os ACTs voltaram ao trabalho. Ao contrário, há indicativos de que a medida causou mais indignação por liquidar a carreira, a maior conquista da categoria
.
Fonte: Blog do Moacir Pereira
A greve e a viagem

30 de maio de 2011

Para parlamentares aliados ficou a impressão de dissintonia entre o governo e a realidade. Muitas são as dúvidas nestes segmentos políticos. Indaga-se o que era mais importante: ficar em Santa Catarina e agilizar medidas, abrir negociação real com o Sinte e encontrar uma solução emergencial para a greve, evitando prejuízos incalculáveis para a educação e centenas de milhares de estudantes que estão sem aula há doze dias, ou viajar à Europa para cumprir uma agenda flexível de contatos empresariais que poderiam acontecer mais tarde? Prospecções internacionais são importantes para o Estado. Visitas a empresas aqui instaladas ou que aqui queiram montar fábricas constituem investidas elogiáveis dos governantes. Mas tudo com uma agenda robusta, a presença de líderes empresariais, e em período de harmonia, sem greve num setor público tão vital. Faltou “timing” na assinatura da medida provisória e também na realização da viagem. Uma constatação que eleva o nível de desgaste político do governo por ocorrer no quinto mês de uma gestão que paralisou tudo para economizar recursos destinados a investimentos.
O governador concederá entrevista coletiva hoje as 15 horas. Para falar sobre a greve dos professores – é o que se imagina. A viagem e seus resultados acabaram sufocados pela paralisação do magistério e pelo impasse que se criou neste final de maio.
Raimundo Colombo tem demonstrado desde que chegou uma estranha tranquilidade em relação à greve. Pode ter cartas na manga para futuras negociações para o fim da greve, especialmente depois dos contatos feitos com o Ministério da Educação em Brasilia e esperanças de arrancar verbas do ministro Fernando Haddad. Ou pode ser desinformação sobre a dimensão real da greve dos professores. Santa Catarina inteira torce pela primeira alternativa e que negociações cheguem a um final feliz.
Fonte: Blog Moacir Pereira

Deputada Ana Paula - Comissão de negociação pelo magistério

Amigos e inimigos da educação
30 de maio de 2011
Professor Márcio Lucas da Cruz remete mensagem com apreciações sobre os “amigos da educação x inimigos da educação”. Leia:
“Esta luta pela educação tem dois lados: o lado dos amigos da educação e o lado dos inimigos da educação. Governantes do passado já possuem o titulo de inimigos da educação, porem este atual governo tem a oportunidade de passar de inimigos para amigos, basta atender as reivindicações da categoria. Porem infelizmente existem trabalhadores em educação, que em nossas escolas ficarão com o titulo de inimigos da educação, esses profissionais terão seus nomes eternamente vinculados ao titulo inimigos da educação. E, nós, os amigos da educação que estamos na luta por melhorias. Temos que ficar atentos aos nomes dos inimigos da educação, porque quando esses profissionais ousarem reclamar do sistema educacional que estamos inseridos devem se calar, porque quando tiveram a oportunidade de lutar contra este sistema simplesmente cruzaram os braços e adquiriram o titulo de inimigos da educação.
Quando for declarado o fim da greve muitos profissionais da educação serão intitulados eternamente como inimigos da educação.
Não seja um inimigo da educação venha para luta.”
Fonte: Blog do Moacir Pereira

Deputada Ana Paula em defesa do magistério

CONCURSO DA CASAN
CONFIRA ALGUMAS PROFISSÕES QUE EXIGEM NÍVEL SUPERIOR E SUA REMUNERAÇÃO MENSAL

CARGOEXIGÊNCIAS PARA ADMISSÃOREMUNERAÇÃO MENSAL (R$)C/HORÁRIA
SEMANAL
ADMINISTRADORDiploma de bacharel em Administração de Empresas. Registro no CRA4.500,1240h
ARQUITETODiploma de bacharel em Arquitetura. Registro no CREA.4.961,3840h
ANALISTA DE SISTEMAS – ADM. DE BANCO DE DADOS ORACLE – DBADiploma de bacharel em Ciências da Computação, Sistemas de informação ou outro diploma de bacharelado na área de Tecnologia da Informação, fornecido por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação.4.500,1240h
ENGENHEIRO

*Recrutamento pela formação profissional em Engenharia Civil para ocupar o cargo de Engenheiro conforme PCS.Diploma de bacharel em Engenharia Civil. Registro no CREA.4.961,3840h
ENGENHEIRO

*Recrutamento pela formação profissional em Engenharia Elétrica para ocupar o cargo de Engenheiro conforme PCSDiploma de bacharel em Engenharia Elétrica. Registro no CREA.4.961,3840h
ENGENHEIRO

*Recrutamento pela formação profissional em Engenharia Mecânica para ocupar o cargo de Engenheiro conforme PCS.Diploma de bacharel em Engenharia Mecânica. Registro no CREA.4.961,3840h

ENGENHEIRO

*Recrutamento pela formação profissional em Engenharia Sanitária para ocupar o cargo de Engenheiro conforme PCS.Diploma de bacharel em Engenharia Sanitária. Registro no CREA.4.961,3840h
JORNALISTADiploma de bacharel em Comunicação Social- Jornalismo, com registro no órgão competente.3.887,3725h
PSICÓLOGODiploma de bacharel em Psicologia, com registro no órgão de classe.4.500,1240h
Fonte: http://concursocasan.fepese.org.br/?go=edital&mn=1151b3eab3b069d5112ccae1943307c4

MESMO NÍVEL DE ESCOLARIDADE E QUANTA DIFERENÇA SALARIAL...

Atividade das regionais de Florianópolis e São José no dia 25, na capital catarinense

Fotos da paralização dos professores na Escola Dom Daniel Hostin em Matos Costa


O GOVERNO TEM DINHEIRO PARA PAGAR O PISO PARA OS TRALHADORES EM EDUCAÇÃO.
1) Utilizar corretamente os recursos do FUNDEB:- Conforme a Informação da Diretoria de Auditoria Geral da Secretaria de Estado da Fazenda nº 0187/11, referente a um pedido da Assembléia Legislativa do Estado de Santa Catarina. Respondeu que o valor aplicado em despesas de pagamentos de inativos da educação utilizado pelo estado para compor os gastos com manutenção ou para o desenvolvimento do ensino nos últimos 08 (oito) anos foi de R$ 2.795.232.279,03 (Tabela)EXERCÍCIOVALOR
2003    321.225.039,66
2004    372.044.530,45
2005    292.343.494,09
2006    469.183.851,30
2007    327.589.760,03
2008    415.609.591,55
2009    262.724.807,02
2010    334.511.204,93

TOTAL2.795.232.279,03

A Constituição Federal obriga que o Estado aplique 25% na Educação. Em SC, ano após ano conforme demonstra a tabela acima os governos vem descumprindo a lei. O governo catarinense somente alcança esse percentual por que inclui no repasse gastos que, Segundo o Tribunal de Contas do Estado, não poderiam ser feitos. Caso o governo aplicasse corretamente os recursos poderia garantir o Piso Nacional para os profissionais da educação.2) O governo do estado deveria desvincular o repasse do FUNDEB para o TCE, MPSC, ALESC e TJ, somente nesses dois últimos órgãos a desvinculação estaria próximo de R$ 36 milhões.Esse valor ajudaria a pagar o Piso.3) Conforme o relatório de indicadores contábeis de desempenho da gestão fiscal– consolidado geral: a) Aplicação em Educação em 2009 foi de 17,94% da Receita Liquida de Impostos (RLI);b) Aplicação em Educação em 2010 foi de 19,68% da Receita Liquida de Impostos (RLI);A conclusão é que o governo do estado não vem aplicando o mínimo constitucional de 25% na educação.4) Conforme o balanço financeiro – poder executivo:a) Gasto com pessoal do poder executivo em 2009 foi de 32,67%;b) Gasto com pessoal do poder executivo em 2010 foi de 33,81%;c) Hoje a folha de pagamento esta em 42,15%, podendo chegar a 49%. Com a diferença de 6,85%.A conclusão é que o governo do estado não gasta nem o mínimo com pessoal sabendo que o limite prudencial para esse fim é de 46,55% e limite máximo é de 49%. Portanto, até atingir o limite máximo o governo poderia investir na valorização dos trabalhadores e poderia pagar o piso.
Fonte: Blog Sinte Blumenau

domingo, 29 de maio de 2011

Ato público de queima dos diplomas em protesto ao desrespeito ao plano de cargos e salários por parte do governo de Santa Catarina, ocorrido ontem dia 28 de maio de 2011. ( Porto União)

Atos simbólicos, por todo Estado... Professores queimam seus diplomas em frente à GERED de São Bento do Sul, regional de Mafra. O ato simboliza o achatamento salarial que ocorrerá com a medida provisória proposta pelo governo. Com tal medida um professor com mestrado receberá quase o mesmo montante que um professor iniciante com formação no Magistério e sem graduação

.http://www.youtube.com/watch?v=26303RQHrrw
Citações de três extraordinários pensadores:
O sul africano Nelson Mandela que valeu-se do diálogo, do esporte e da educação para reunificar o pais, acabar com o ódio da discriminação racial e realizar uma maravilhosa Copa do Mundo;
O grande pensador alemão Kant, que tem obras marcantes na história da humanidade e ;
O francês Michelet. Quem não tiver suas obras em casa ou na biblioteca, poderá ter algumas referências no google.

Seguem os pensamentos para reflexão de todos, principalmente das autoridades estaduais, federais e municipais:
1.Nelson Mandela: “A Educação é a arma mais poderosa que você pode usar para mudar o mundo.”
2.Immanuel Kant: “É na Educação que se assenta o grande segredo do aprimoramento da humanidade.”
3.Michelet: “Qual é a primeira prioridade da política?A Educação.
E a segunda?A Educação
E a terceira?A Educação.”
Fonte: Blog do Moacir Pereira
No blog do Moacir Pereira
29 de maio de 2011
“Protagonistas da Educação”
“Neste momento tenho algumas certezas.
Não somos uma categoria dispersa e anônima em nossos ofícios.
Estamos construindo história.
Não silenciaremos mais nossos dilemas.
A sociedade continuará depositando confiança no professor.
Os governos e seus políticos que se cuidem!
Tudo o que está acontecendo está sendo salvaguardado,
na memória, nos meios de comunicação, na rede…
A partir de agora vamos dar mais que aula, seremos protagonistas da Educação.
O que antes era clandestino, fraudulento e imposto
nas relações de trabalho, será repensado inúmeras vezes.
Nos fortaleceremos apesar de tudo.
As esperanças não serão motivo de ansiedade,
mas renovadas por tudo que verdadeiramente somos.”

Professora Cristina Sutil

Carta cedida pela Professora Jusimara Mello Souza

Caro Senhor Marco Tebaldi, recebi um link com seu texto em meu e-mail, e decidi que não poderia deixar de fazer um comentário, sou professora da rede Estadual e estou em greve, concordo com o senhor em pelo menos um ponto, quando diz que nos últimos dias estamos vivendo uma situação difícil, muito mais difícil para nós (diga-se de passagem), que jogamos tudo para o ar, deixamos nossas escolas e nossos alunos, para lutar pelo cumprimento de uma Lei, Lei esta conhecida desde julho de 2008, e que desculpe-me a franqueza, o senhor como pessoa pública e conhecedor de leis deveria ser o primeiro a dar o exemplo e dizer... Cumpra-se. Uma greve fora de época do magistério, SIM!!!! Pois deveríamos ter ido às ruas no momento do encaminhamento da ADIN ao supremo, e quem sabe nesse ponto o senhor concorde comigo, pois, então Paulo Bauer seria antagonista nesse palco e não o senhor. Mas não o fizemos, esperamos pacientes o julgamento do STF (pacientes, pacíficos, trabalhando), e quando esse se deu quase três anos depois da promulgação da lei, o que recebemos??? Um NÃO. A greve é fora de época! Esperamos muito tempo...
Tenho doze anos de magistério, optei por fazer pós graduação nas duas áreas em que atuo (Português e Inglês) mesmo sabendo que poderia acessar apenas uma, paguei as duas e vários cursos pois o nosso estado diferente de outros não oferece muitas opções de cursos  de formação continuada, principalmente em minha área, cursos pagos com muito esforço em várias vezes, pois nosso salário mal dá para o básico... Hoje pela manhã, em minha cidade (Porto União) queimamos cópias de nossos certificados e enquanto eu via o papel virando fumaça e depois cinza pensei nos muitos momento difíceis que passei para conquistar aqueles diplomas, deixando minha filha em casa vários sábados enquanto eu ia para o curso de especialização, estudei nas férias ,finais de semana, entre outros vários sacrifícios...  Mas, eu sabia que valeria a pena, pois o reconhecimento viria... mas, não veio... Por tudo isso senhor Marco Tebaldi... Essa greve está mesmo fora de hora, deveríamos tê-la deflagrado há muito tempo, pois nossa luta é por respeito, nossa luta é por justiça.
Professora Jusimara Mello de Souza
Frases célebres, ditos populares, pérolas do imaginário coletivo que podem nos ajudar a refletir sobre o momento em que vivemos.
01- "De onde menos se espera, dali mesmo é que não sai nada."
Esta frase, do Barão de Itararé (1895-1971) tem um sentido atual tão óbvio, que dispensa qualquer comentário.
02- "Que bicho foi que te mordeu?"
Que bicho picou esta categoria levando-a ao enfrentamento? A indignação. A falta de sensibilidade política do governo. A falta de diálogo. A falta de respeito. O bicho sanguessuga que pretende engessar a educação na cidade.
03- "A política não é uma ciência, mas uma arte."
No caso de SC, é a arte da mentira e da enrolação. A arte de enganar a maioria absoluta da população com propagandas caras e falaciosas.
04- "Abre-te Sésamo"
As palavras mágicas proferidas pelo herói de 'Ali Babá e os quarenta ladrões' para abrir a misteriosa porta da caverna, onde eram guardados os tesouros, podem muito bem ser utilizadas em nossas próximas manifestações. Quem sabe assim, o pomposo governador abra as portas de seu Real Palácio e mostre que o cofre  não é só dos 'chegados'? Quem sabe o suntuoso castelo se abra e a governo atenda algumas das nossas reivindicações?
05- "Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura."
Este pode ser um bom lema e uma boa meta para a nossa categoria. Esmorecimento não resolve. Como educadores, temos o compromisso histórico de desmascarar as mentiras veiculadas na grande imprensa pelo poder de plantão. Temos que fazer frente à campanha de desvalorização e desmoralização do profissional em educação levada a cabo pelo governo do Estado de SC. É necessário resistir, sempre.
06- "Ser surdo como um porta."
Característica do político que finge não ouvir o clamor popular. Será inesquecível a “Marcha em defesa da educação contra a violência e por negociação já"! Foi bonito, valeu. Parece que até as portas ouviram.
07- "Até tu, Brutus?"
O que fazem em nossas Assembléias, assessores de parlamentares da bancada do governo que são declaradamente contrários ao nosso movimento e à nossa organização?
08- "Mateus, primeiro aos teus."
Aqui, no Reino do Raimundo Colombo, a versão mais apropriada seria: "Mateus, somente aos teus". Afinal de contas, "ninguém é bom de serviço sozinho", não é mesmo?
Colaboração: professora Carmem
Paródia elaborada a partir da música: Saudade da minha terra.
Composição: Carmen Zanella, Joice Dalle Laste e Sandra Straub.
( Professoras de Palma Sola - SC)
Vale a pena conferir:

Blog do Moacir Pereira
Pinheiro Neto apoia professores de SC
27 de maio de 2011
CARO CONFRADE E AMIGO,
Escritor e professor Pinheiro Neto, da Academia Catarinense de Letras, envia e-mail que o blog transcreve como poderosa vitamina a prosseguir na caminhada da verdade, da informação esclarecedora e da defesas das causas da Justiça eda Cidadania em Santa Catarina. Ao tempo em que transcrevo, envio abraço fraterno de agradecimento sincero pelo gratificante apoio. Leia, como enviado:
“MEUS PARABÉNS PELA ABORDAGEM INCISIVA, CLARA, COMPETENTE E, SOBRETUDO BASEADA EM INFORMAÇÕES E FATOS CONCRETOS, NO DIZ RESPEITO AO PROBLEMA ENFRENTADO PELO MAGISTÉRIO CATARINENSE. COMO COLUNISTA RESPEITADO, CONHECIDO E ACOMPANHADO DIARIAMENTE POR MILHARES DE LEITORES, TENHO CERTEZA, TENS SIDO UMA VOZ MUITO IMPORTANTE NA DEFESA DA MELHORIA DAS CONDIÇÕES DE VIDA E TRABALHO DOS PROFESSORES CATARINENSES E BRASILEIROS. COM ADMIRAÇÃO,
PINHEIRO NETO.”
Parece que acordamos?

Colombo quarta em Brasilia
29 de maio de 2011
governador Raimundo Colombo estará na próxima quarta-feira em Brasilia. Teve confirmação de audiência especial com o ministro da Educação, Fernando Haddad,depois que desembarcou em Florianópolis, procedente da Europa. Deverá tratar da liberação de recursos federais para fazer uma nova proposta aos professores da rede estadual de ensino e viabilizar o fim da greve.
Colombo recebeu um relato informal da greve do vice Eduardo Moreira no hangar do governo no aeroporto Hercilio Luz. Conversou depois com o secretário da Educação, Marco Tebaldi, que também transmitiu informações sobre a situação. Tinha agendado encontro com o vice Eduardo Moreira no sábado. Marcou reunião com o grupo gestor neste domingo. Esta avaliação poderá ser decisiva para as negociações com os professores.
O governo tem apenas uma posição inarredável. Diz que não há condições financeiras para aplicação integral do piso salarial a todos os integrantes do magistério. A folha teria um aumento mensal de 100 milhões de reais. A única opção que restaria para esta hipótese talvez fosse o pagamento em quatro anos, como ocorreu no Rio Grande do Sul e a fórmula adotada em São Paulo. É, contudo, a possibilidade mais remota. Como a rejeição dos professores contra a medida provisória foi consensual e acabou se fortalecendo entre os integrantes da carreira e até entre os ACTs, a única via razoável é da negociação. E com nova proposta. O governo parece convencido de que só com a medida provisória não vai acabar com a greve. E os prejuízos políticos estão se acumulando. A votação da medida provisória na Assembléia, se não for melhorada a tabela salarial, tem tudo para se transformar num campo de batalha, com novas perdas também para os deputados da base governista. O preço a ser pago, mesmo que a medida seja aprovada, seria alto demais.

sábado, 28 de maio de 2011

Vejam novas adesões....grupo cada vez mais unido!!!

fonte:http://www.sinte-sc.org.br/?FamilyID=SinteAcao&ler=2752011154416

27/5/2011 - Gered de Criciúma entra na greve do magistério
e publica carta de adesão à paralisação
 Carta de adesão à greve do servidores públicos da Educação do Estado de SC

Ao presenciar centenas de professores em Assembleia organizada pelo SINTE/SC (Sindicato dos Trabalhadores em Educação) no auditório da Escola de Educação Básica Sebastião Toledo dos Santos(Colegião) na cidade de Criciúma, no dia 24 de maio(terça-feira),sentimo-nos motivados a participar do movimento.

Movimento este que vem traduzir a nossa indignação em relação à proposta, diga-se de passagem indecorosa do Governo do Estado de SC em equalizar o piso salarial dos profissionais da educação. Proposta que banaliza o comprometimento, empenho e investimento do profissional ao seguir a carreira do magistério. Carreira esta que está comprometida após a desvalorização acadêmica desse profissional.

Diante dessa situação, um grupo de 15 educadores dos 50 servidores que desempenham atividades na 21ª GERED de Criciúma aderiram à GREVE.

Profissionais que valorizam e entendem o que é ser professor.

Educadores determinados a lutar pela regularização do PISO SALARIAL DIGNO do profissional da Educação do Estado de Santa Catarina, respeitando o Plano de Carreira do Magistério Público Estadual.

Educadores que acreditam na força da Greve.

Educadores que apóiam integralmente os professores que estão em sala de aula.

Educadores que acreditam na luta pela valorização do magistério.

Cristina Bitencourt, Cristina Scandolara Bendo, Dilcineia Nazário Fernandes, Elizabeth Regis, Euclides Gerônimo Ribeiro, Eva Regina Miranda Souza, Ivanise Pagnan Bez Birolo, Ivanosca de Mesquita Orsi, Marlene Maria Tasca Rosso, Milza Maia Nabo, Nelci Pereira Metz, Sarita Luiz Custódio Borges, Solange Geremias Scotti, Soraia Cividini, Soraia Naspolini Coral.

Guerreiros...

Comprometidos...

Conscientes...

Ativos...

Quem tiver adjetivos como este, junte-se ao grupo!!!!

Gostaríamos de mobilizar os trabalhadores em Educação das GEREDs para podermos reforçar essa grande luta!!!

Acessem e se possível divulguem nosso blog: http://geredcriciuma.blogspot.com

Abraços
Grupo de adesão à greve GERED de Criciúma
Palavras de Chico Buarque, força no caminho...


TODOS JUNTOS – CHICO BUARQUE
Todos juntos somos fortes
Somos flecha e somos arco
Todos nós no mesmo barco
Não há nada pra temer
- Ao meu lado há um amigo
Que é preciso proteger
Todos juntos somos fortes
Não há nada pra temer
ELVIS diz:
27 de maio de 2011 às 10:39 pm
Moacir,
Bom saber que o clima é amistoso e que pareça estar convergindo para o entendimento, pois dá arrepios ver que em órgãos do próprio governo, em Edital lançado na semana passada, como é o caso da CASAN, os valores oferecidos são superiores ao “PISO do Magistério, para quem tem apenas nível fundamental ou médio. Além disso a CASAN respeita o Plano de cargos e salários. Acompanhe:
Segue parte do edital para concurso da CASAN:
Cargos com exigência de curso de ensino médio e ou técnico
ASSISTENTE ADMINISTRATIVO
Ensino Médio
1.265,62
40h
SECRETÁRIA
Ensino Médio ou Técnico em Secretariado. Registro profissional na SRTE.
1.265,62
40h
ELETROTÉCNICO
Técnico em Eletrotécnica, com registro profissional no órgão de classe.
1.869,69
40h
Cargos com exigência de curso de ensino fundamental
INSTALADOR HIDRÁULICO SANITÁRIO Ensino Fundamental 1.265,62 40h
E o edital completa dizendo o seguinte:
a) A remuneração básica mensal corresponde ao salário inicial do cargo constante do Plano de Cargos e Salários da CASAN.
b) A empresa oferece vale refeição/alimentação, em tíquete, auxílio creche, planos de saúde, odontológico e auxílio‐educação para os empregados.
É lastimável ver que alguns setores do próprio estado pague o vencimento maior que o “Piso” proposto pelo governo e ainda façam questão de fazer referência AO PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS.

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Declarações de falta de dinheiro são inverdades
Em declaração feita ao Diário Catarinense do dia 18 de maio o Governador diz que o Estado não tem caixa para pagar um aumento que deve ser de aproximadamente de 98% de impacto na folha do magistério e isso não seria suportado pelo Estado . Mas a Lei n° 11.738 que estabelece o PISO MÍNIMO DO MAGISTÉRIO prevê que desde que os estados e municípios comprovem a necessidade o governo federal complementará com repasse da União, basta para isso provar que:
- aplica no mínimo 25% das receitas na manutenção e no desenvolvimento do ensino;
- preenche o Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Educação (Siope);
- tem o órgão da educação como gestor dos recursos;
- tem um plano de carreira específico para o magistério;
- demonstra plenamente o impacto da lei do piso nos recursos do Estado ou Município;
- apresenta planilha de custos detalhada, que apresente a incapacidade para o cumprimento do valor do piso.
Portanto, se não tem dinheiro, basta comprovar e receber o dinheiro que falta, mas se não tem como comprovar a falta deste dinheiro para o pagamento do PISO, significa que tem verba e não quer pagar, e pior, vai fazer o que com esse dinheiro? Com o NOSSO dinheiro?
Cassiano Marafon, professor em Taió

Professores prometem mobilização gigantesca na AL

26 de maio de 2011
Mensagem remetida via e-mail pelo professor José Heriberto de Oliveira anuncia uma gigantesca mobilização dos professores na Assembléia Legislativa para tentar impedir a aprovação da medida provisória do piso salarial do magistério. Leia sua manifestação:
“Caro Moacir!
A Capital vai ficar pequena no dia da votação da medida provisória. Se o Governo achava que pagando o piso poderia mandar os professores pra sala de aula e que tudo estava resolvido, fez uma leitura equivocada de todo o sistema educacional e do magistério. Esta greve é fruto do descontentamento produzido pelo modelo de gestão educacional implantado frente à SED nos três últimos governos. O piso, além de ser uma reivindicação pobre, é apenas um dos itens da escalada de indignação dos professores em nosso estado nos últimos anos, vejamos a seguir:
O tempo para aposentadoria dos professores vem sendo ampliado;
A gente gozava licença premio, agora usufrui, mas, somente quando o governo quer;
Governador entra na Justiça, congela o piso a valor equivalente ao que o candidato dele a Presidente da República propunha para o salário mínimo;
Passou a ser comum a agressão em Professores por pais e alunos e a vitima é o culpado;
A escola passou a ser depósito de menores delinqüentes e infratores, como se tivéssemos preparo, tempo e ambiente para educá-los;
A escola que não deu ainda pra ser privatizada, chegou ao estágio da terceirização: da merenda, da vigilância, sistema de informática, manutenção de computadores, limpeza e outros;
Municipalização do ensino;
10 anos sem curso de qualificação;
Oito anos sem concurso público para professores das séries iniciais;
Redução do recesso escolar com ampliação dos dias trabalhados, este ano iniciamos as aulas em 07 de Fevereiro;
Aprovação automática dos alunos de 5ª para 6ª série e anos subseqüentes, com o compromisso da SED de recuperá-los a partir de abril, mas já esqueceram.
Gestão escolar com escolha de Diretores com critério partidário, já deu tempo pra ver que este modelo não funciona.
E Preciso um novo olhar para os professores, não nos olhe como adversários, não nos trate como inimigos, somos profissionais que estamos em postos e lugares diferentes, portanto, o fato de estarmos na sala de aula não da o direito a ninguém de nos tratar como de terceira categoria. Por fim me assusta ver as Universidades assistirem passivamente o fim da formação acadêmica e as entidades empresariais não se ligarem para os prejuízos econômicos do nosso estado, já dos políticos não se espera nada há muito tempo.
Professor Jose Heriberto de Oliveira.”
Fonte: Blog do Moacir Pereira/ Diário Catarinense

Mais um Deputado do Partido da Educação



Deputado Pedro Uczai apóia luta dos professores pelo piso nacional

Mesmo com a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) pela constitucionalidade da Lei 11.738/2008 que trata sobre a regulamentação do piso nacional para os profissionais da educação básica da rede pública, o Governo do Estado de Santa Catarina continua descumprindo a lei e se recusa a pagar o piso mínimo de R$ 1.187,14. O fato levou os professores da rede pública estadual entrarem em greve por tempo indeterminado.
Para o professor e deputado federal Pedro Uczai (PT), titular da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, a greve dos professores é resultado do descaso com que o Governo do Estado trata o magistério. “Mesmo com a decisão do STF que considerou legal e constitucional o piso nacional, ainda assim o Governo de Santa Catarina, um dos proponentes da Ação de Inconstitucionalidade da lei, insiste em não pagar o piso como vencimento”, destaca Uczai.
Segundo o deputado, não existe justificativa aceitável para que o Governador Raimundo Colombo seja um dos únicos governadores que ainda não cumpriu a lei. “Santa Catarina é a quinta economia do país, e nada justifica a posição do governador ao descumprir a lei”. Para Uczai, o Governo do Estado precisa assumir compromisso com a Educação, que passa necessariamente pela valorização dos professores.

“Sou solidário a luta dos trabalhadores e trabalhadoras da educação. Sou parceiro neste movimento pelo cumprimento da Lei”, conclui.
Começamos a receber Notas de apoio, dos senhores Deputados, assim fica claro independente de sigla partidária, quem é do PARTIDO DA EDUCAÇÃO


26/05/2011 - 14h27min
Dos Gabinetes- Saretta apoia a luta do magistério e diz que governo precisa tomar atitude imediata para resolver impasse
Desde as primeiras sessões plenárias na Assembleia Legislativa, o deputado Neodi Saretta (PT) tem abordado a educação. Hoje, no Plenário, Saretta novamente se posicionou a favor de uma melhor qualidade no ensino e, segundo ele, isso começa com a boa remuneração dos professores. “Sempre que se fala em melhorar a educação, chega-se ao ponto chave que é a obtenção dos recursos, o financiamento da educação não pode ficar em segundo plano”, disse o deputado.
Saretta fez referência à primeira Proposta de Emenda Constitucional (PEC), que tramita pela Assembleia Legislativa, e que é de sua autoria, onde prevê o aumento de 25% para 30% dos recursos destinados a educação. Segundo o deputado, tal medida faz-se necessária, pois garante melhores condições de trabalho, bons salários e um ensino de qualidade. “Aumentar o percentual da educação de 25% para 30% é fundamental para criar um mecanismo de maior apoio financeiro possibilitando um melhor desenvolvimento do ensino. Isso também resolveria o impasse com o professorado, pois teríamos mais recursos”. O deputado citou como exemplo o município de Concórdia que, quando prefeito, chegou a investir, na educação, até 31%.
Saretta, que acompanha e apoia a luta dos professores disse ainda que o governo precisa tomar uma atitude imediata e propor alternativas, aceitáveis, para solucionar o impasse com o magistério. “É inaceitável desmerecer essa categoria que é a base para formar bons cidadãos”.



Alguns artigos da Lei do Piso 11.738/08 e algumas reflexões sobre eles, reflexões feitas por uma professora que recusa-se terminantemente ver perdidos anos de formação, duas pós graduações e anos de estrada e luta pelo magistério... O plano de Carreira é nossa conquista... CUMPRA-SE A LEI...

Art. 4o A União deverá complementar, na forma e no limite
do disposto no inciso VI do caput do art. 60 do Ato das Disposições
Constitucionais Transitórias e em regulamento, a integralização de
que trata o art. 3o desta Lei, nos casos em que o ente federativo, a
partir da consideração dos recursos constitucionalmente vinculados à
educação, não tenha disponibilidade orçamentária para cumprir o valor
fixado.
(O Estado que não tiver dinheiro será auxiliado pela União)

§ 1o O ente federativo deverá justificar sua necessidade e
incapacidade, enviando ao Ministério da Educação solicitação fundamentada,
acompanhada de planilha de custos comprovando a necessidade
da complementação de que trata o caput deste artigo
§ 2o A União será responsável por cooperar tecnicamente
com o ente federativo que não conseguir assegurar o pagamento do
piso, de forma a assessorá-lo no planejamento e aperfeiçoamento da
aplicação de seus recursos.
( Mas tem que provar mediante planilha de custos/ abrir as contas/ mostrar onde estão as verbas)

Art. 5o O piso salarial profissional nacional do magistério
público da educação básica será atualizado, anualmente, no mês de
janeiro, a partir do ano de 2009.
( Nunca fizeram isso sempre vivemos de migalhas, abonos incorporados e não de uma só vez, em várias vezes a cada 4/ 5 meses... leia-se ESMOLAS)

Art. 6o A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios
deverão elaborar ou adequar seus Planos de Carreira e Remuneração
do Magistério até 31 de dezembro de 2009, tendo em vista
o cumprimento do piso salarial profissional nacional para os profissionais
do magistério público da educação básica, conforme disposto
no parágrafo único do art. 206 da Constituição Federal.
(AH!!!! a lei fala de PLANO DE CARREIRA??? Nossa ! Pelo discurso do senhor Secretário da Educação daria para entender que isso é utopia )

Art. 8o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 16 de julho de 2008; 187o da Independência e 120o
da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Tarso Genro, Nelson Machado, Fernando Haddad, Paulo Bernardo Silva,
José Múcio Monteiro Filho, José Antonio Dias Toffoli
(Pois é, julho de 2008, quanto tempo não é??? Será que Santa Catarina não faz parte da República Federativa do Brasil????)
Professora Jusimara Mello de Souza
Ministro do STF fala sobre a  aplicação do Piso

"Não me comove, não me sensibiliza nem um pouco argumentos de ordens orçamentárias. O que me sensibiliza é a questão da desigualdade intrínseca que está envolvida. Duvido que não haja um grande número de categorias de servidores, que não esta, que tenha rendimentos de pelo menos 10, 12, até 15 vezes mais que esse piso"
Ministro Joaquim Barbosa, do STF (sobre a aplicação do Piso nos Estados e municípios)
Fonte: G1.com /on line

AGENDA



 
Convidamos todos (as)  professores (as) para reunião/ amanhã,( sexta-feira, dia 27 de maio) as 10 da manhã, nas dependências do "Clube 25 de Julho" -(salão pequeno)- para  conversarmos sobre a situação atual de nosso movimento bem como de desenvolvimento de  ações para os próximos dias. 
Nesta estará presente o Professor aposentado Francisco Lotério de Oliveira  (Chico), hoje atuando como advogado, para esclarecimentos quanto aos aspectos jurídicos sobre a greve, envolvendo  nossos direitos.
 O Professor Cassio já havia enviado convite ao Professores ACTs mas, devido a problemas em relação ao local citado anteriormente, estamos reenviando o convite.
 Salientamos a importância da presença de todos, para que possamos estar inteirados sobre este momento da greve ,compreendendo e repassando à comunidade a realidade dos acontecimentos.
Abraços,
Comissão Municipal do Movimento
 

quinta-feira, 26 de maio de 2011

AVISO

Senhores Pais
Recebemos a pouco a informação que a RBS TV divulgou uma notícia que amanhã( 27 de maio) os pais deveriam enviar seus filho à escola, pois a greve teria  terminado. Precisamos, mais do que nunca, ESCLARECER a comunidade para que saiba que quem está complicando a situação divulgando inverdades - colocando até mesmo nossos diretores em situações  extenuantes, visto terem que dar conta das confusões criadas - é o governo, e não nós professores. VAMOS DIVULGAR que CONTINUAMOS EM GREVE!!!

TCE: Os recursos “subtraídos” da educação e da saúde

26 de maio de 2011
O governo do Estado deixou de repassar nos últimos anos a quantia de R$ 1.670.000.000,00 para a educação e de R$ 627.700.000,00 para o setor saúde. É o que consta da página 92 do parecer prévio do conselheiro Salomão Ribas Júnior nas contas do governo Luiz Henrique/Pavan de 2010.
Um substancioso documento técnico de 128 páginas traz, de forma didática, apreciações judiciosas e esclarecedoras sobre a receita tributária estadual e a destinação dos recursos aos poderes, aos diferentes setores, as empresas e demais órgãos públicos.
Ao avaliar o funcionamento dos quatro fundos criados no governo Luiz Henrique (Esporte, Turismo, Cultura e Fundosocial), o relator revela que no qüinqüênio (2006-2010) o Estado deixou de repassar para educação e saúde a quantia de R$ 689.910.000,00, considerando o desvio dos quatro fundos, cujo recursos não são computados na receita tributária estadual. São, assim, excluídos da redistribuição aos poderes e setores definidos na Constituição, como saúde(12%) e educação(25%). Ressalta o documento de forma textual: “Desse valor (689 milhões), R$ 465.910.000,00 foram subtraídos da educação e R$ 223.640.000,00 da saúde”.
O relator somou, também, os valores destinados ao pagamento de inativos na saúde e na educação e o que foi contabilizado como investimento nas duas áreas. Chegou às somas de R$ 1.210.000.000,00 não aplicadas na educação e R$ 404.300.000,00 não destinados à saúde. Ele lembrou decisão do Tribunal de Contas determinando à Secretaria da Fazenda que inclua a receita do Fundosocial na base de cálculo para aplicações mínimas e constitucionais na educação e na saúde. A Secretaria da Fazenda insurgiu-se contra a decisão. O processo tramita no Tribunal de Contas. É relatado pelo auditor Cléber Muniz Gavil. ( fonte: Blog Moacir Pereira)

PROFESSORES PARADOS

GUERRA DE INFORMAÇÕES
 A fala escorregadia do secretário da Educação ,MARCO TEBALDI,em entrevista á reportagem especial do DC de ontem,demonstra a forma como o governo de SC trata  a educação em nosso Estado .O novo piso foi adiado de forma irresponsável ao cumprimento da lei federal ,sob o argumento de que a decisão do STF ainda não havia sido publicada .Isso é o resultado de um político carreirista,sem qualquer passado técnico ou acadêmico que o habilite para a função.


                                                                 Hugo Frederico Vieira Neves
                                                                           Florianópolis
 
Professores de Porto União farão como forma de protesto em praça pública um Ato Simbólico, a queima de nossos diplomas, traga fotocópia do seu diploma( sábado depois do recolhimento das assinaturas /no cruzo da linha)participe conosco, mostre sua indignação diante dessa medida provisória que achata o plano de carreira do magistério Catarinense. Professores de Itajaí , mostraram seu repúdio redigindo a Nota de Falecimento do Plano de Carreira, confira:
POSTADO POR : Chaiane Suellen

Blog do Moacir Pereira / Diário Catarinense

Anjos da Guarda

26 de maio de 2011
O título é de música e letra de Leci Brandão do e=mail de Adriano Silva. Veja:
“Professores
Protetores das crianças do meu país
Eu queria, gostaria
De um discurso bem mais feliz
Porque tudo é educação
É matéria de todo o tempo
Ensinem a quem sabe tudo
A entregar o conhecimento
Na sala de aula
É que se forma um cidadão
Na sala de aula
Que se muda uma nação
Na sala de aula
Não há idade, nem cor
Por isso aceite e respeite
O meu professor
Batam palmas pra ele
Batam palmas pra ele
Batam palmas pra ele”

Vídeo do professor Celestino Glaab na Cãmara de Vereadores de Porto União. Dia 25/05/2011

http://mais.uol.com.br/view/5kjc9tmivyrj/professor-celestino-glaab--25052011-04020C1A3164C4B11326?types=A&
Senhores Professores

Após o envio para TODOS (AS) OS (AS) DEPUTADOS (AS) de e-mail solicitando posicionamento favorável em relação a aplicação de nosso piso, até o momento recebemos somente estas repostas as quais compatilhamos com vocês. Solicito que efetuem a leitura para que saibamos o que devemos continuar fazendo nesse momento., na certeza, mais uma vez, de estarmos CERTOS em nossa postura.
Grata,
Abraços,
Mariane


Em 25 de maio de 2011 16:16, Deputada Ana Paula Lima escreveu:
Mariane Sohn

"Mais uma vez, o Governo do Estado desrespeita a história e a luta do magistério.
Consideramos a proposta do Governo um atentado contra a carreira dos educadores. "
Não é possível a aprovação desta medida na ALESC.
Por outro lado, somente a mobilização e a pressão sobre os parlamentaares,
na ALESC e nas suas bases eleitorais poderá reverter a postura da grande maioria que é
governista. São 31 deputados na base do governo e apenas 9 na oposição.
Por nossa solitação o SINTE usou a tribuna , na tarde de ontem, para deixar claro
o seu posicionamento para os parlamentares.
*E na tarde de hoje, por nossa solicitação, foi formada uma comissão de
deputados para se reunir, amanhã, com o governador do Estado.
Manifesto meu apoio e solidariedade a esta luta legítima. *

Atenciosamente, Deputada Ana Paula Lima.


Queridas(os) Professoras(es),

Afirmei ontem (24/05), na tribuna da Assembleia Legislativa, que a
Medida Provisória (MP) encaminhada pelo Governo do Estado, acaba com o
Plano de Cargos e Salários do magistério estadual e não corresponde a
uma política sensata para a educação. Solicitei ao governador Raimundo
Colombo que receba os representantes do movimento grevista, assim que
chegue de viagem.

A MP somente inviabiliza uma política salarial para o magistério. Coloca
o plano de carreira a zero e retira incentivos, com o achatamento dos
salários.

O nível avançado da mobilização dos professores e professoras em todo
Estado, que atinge 90% dos servidores, demonstra que a adoção do piso
nacional, com a manutenção das conquistas já alcançadas, é o único
caminho possível para o governo. A valorização dos profissionais da
educação é o primeiro passo para garantirmos um sistema de qualidade. E
a defasagem é incontestável.

Questionei a constitucionalidade da MP encaminhada pelo Governo. O
artigo 62, inciso III da Constituição Federal, proíbe a edição de MP
sobre matéria reservada a Lei Complementar. No caso de Santa Catarina,
a Constituição Estadual, no inciso IV do artigo 57, estabelece a edição
de Lei Complementar para regrar o regime jurídico dos servidores
estaduais. Esta questão também precisa entrar neste debate. Acho
interessante também colocar na mesa estas questões legais, pois o
movimento ganhará mais tempo, força e credibilidade.

Finalmente, é importante lembrar que o Estado incluiu indevidamente os
gastos com inativos no percentual obrigatório de 25% do orçamento,
repassado à área conforme determina a Constituição Federal. Com a
inclusão dos inativos o Governo alcançava os 25% de repasses, mas esta
prática é irregular, conforme o próprio Tribunal de Contas do Estado
(TCE) alerta. Da mesma forma, o governo fez na saúde. Diante disto,
movi uma ação popular na Vara da Fazenda Pública de Florianópolis, em
2010, solicitando que a justiça obrigue o Estado a retirar os gastos com
inativos das áreas de saúde e educação, para que cumpra efetivamente com
os repasses constitucionais de 12% e 25%, respectivamente.

Paz e Bem... mas com força e coragem na luta !

Padre Pedro Baldissera
Deputado estadual– PT/SC

Esta Carta foi enviada por alunos da E.E.B Antônio Gonzaga



Carta de Apoio Aos Professores de Santa Catarina

Os alunos da E.E.B Antônio Gonzaga, reunidos no dia 18 de maio de 2011,declaram estar cientes da greve dos professores da rede Estadual de Santa Catarina e afirmam que estão juntos nessa luta pelo cumprimento do da Lei do Piso Nacional do Magistério.
Também sabem que o SINTE/SC tentou evitar a situação, mantendo contato com o Governo desde o início do corrente ano, entretanto nada foi resolvido.
Parece que nossos políticos “cegaram”, não levaram em conta que se chegaram onde estão foi com o auxílio de um professor, e que esse professor tem família e trabalha horas excessivas para sustentá-la.
Então seria de extrema importância que um dos profissionais que mais contribuem para o crescimento do país tenha assegurado pelo governador o comprimento da Lei do Piso?
Apoiamos com toda força e consciência a ação dos profissionais de Educação de nosso Estado. Esperamos que tudo se resolva o mais rápido e que a justiça seja feita.
Porto União/ Santa Catarina

Greve, impasse e correria no governo

25 de maio de 2011
A presença dos dirigentes do Sinte e dos professores de São José hoje na Assembleia Legislativa acabou provocando uma pequena crise na base do governo. Os deputados de oposição tomaram a iniciativa, com discursos de Angela Albino, Ana Paula Lima e Luciane Carminatti, todas defendendo a manifestação dos professores e classificando a medida provisória de inconstitucional. Matéria exclusiva de “lei complementar” não pode ser alvo de medida provisória, nos termos da Constituição, é o alegado.
Com o domínio da cena pelas oposições, os deputados do DEM logo vieram em socorro do governo. E começaram a lançar a idéia de uma reunião emergencial com o governador interino Eduardo Moreira, para tentar uma contra proposta e solução para a greve.
Chegou a ser aventada a hipótese desse encontro acontecer ainda nesta quinta-feira ou, no mais tardar, na sexta.
Alguns líderes governistas acham que esticando um pouco é possível dar alguma boa notícia para os professores não contemplados com o piso, o que poderia descomprimir a tabela salarial.
Outros sustentam que o governo deveria negociar diretamente com os dirigentes para acertar um acordo de descompressão parcial da tabela salarial na carreira.
Uma terceira corrente admite até um entendimento amplo para pagamento integral do piso incidente de forma plena na carreira, que geraria 100 milhões de reais mensais de acréscimo na folha, segundo o governo. Mas poderia negociar em vários anos, como acertado no Rio Grande do Sul ou em São Paulo.
A idéia de um encontro urgente com Eduardo Moreira foi sepultado. Primeiro, o PMDB é que faturaria sobre o fim da greve. Raimundo Colombo,do DEM, agora PSD, o governador que está na Europa, ficaria com o ônus de ter proposto lá atrás no dia 11 o piso como “remuneração”, logo sepultado pelos professores, e Eduardo Moreira, do PMDB, faturaria politicamente como credor do bônus.
O DEM – ou PSD – sentiu o prejuízo e botou a boca no trombone. Reunião com o vice, não! Isto é assunto para o governador decidir.
E não é apenas esta questão partidária, que poderá ter profundos reflexos eleitorais, que está sendo contabilizada pelos deputados.
Há outra preocupação latente em todas as análises governistas: a principal na proposta de melhorar a proposta do piso para incentivar os professores com especializações: o chamado efeito dominó.
Todos temem no governo que reajustados os salários dos professores venham em seguida as mobilizações e greves dos servidores da saúde e da segurança pública.
Por tudo isso e muito mais, Colombo desembarca no fim de semana, examina os cenários e articula alguma solução.
Se confirmar a audiência com os líderes partidários para segunda-feira sairá a primeira fumaça branca. Ele só receberá os parlamentares se tiver a solução para anunciar a Santa Catarina.



     Regina  Ana
"Mais uma vez, o Governo do Estado desrespeita a história e a luta do magistério.
Consideramos a proposta do Governo um atentado contra a carreira dos educadores. "
Não é possível a aprovação desta medida na ALESC.
Por outro lado, somente a mobilização e a pressão sobre os parlamentaares,
na ALESC e nas suas bases eleitorais poderá reverter a postura da grande maioria que é
governista. São 31 deputados na base do governo e apenas 9 na oposição.
Por nossa solitação o SINTE usou a tribuna , na tarde de ontem, para deixar claro
o seu posicionamento para os parlamentares.
*E na tarde de hoje, por nossa solicitação, foi formada uma comissão de
deputados para se reunir, amanhã, com o governador do Estado.
Manifesto meu apoio e solidariedade a esta luta legítima. *

Atenciosamente

Ana Paula Lima
Deputada Estadual PT

Temos que mandar milhões de pedidos a assembléia

http://wp.clicrbs.com.br/moacirpereira/2011/05/25/greve-assembleia-marca-audiencia-com-governador/?topo=77,2,18 

25 de maio de 2011
 
A Assembléia Legislativa decidiu intermediar uma negociação entre os professores e o governo do Estado para por fim a greve do magistério. Pressionados pelos dirigentes do Sinte e por deputados de oposiçao os líderes governistas acertaram um encontro para esta quinta-feira com o governador interino Eduardo Pinho Moreira. A idéia é de negociação concreta em torno da reivindicação dos professores.


Aqui vai a ideia de um texto que pode ser enviado aos deputados, mude conforme sua situação, mãe de aluno, professor etc... mas não deixe pra depois. Ah envie para seu contatos assim temos mais gente...


Caro Deputado................, o que o governador está fazendo conosco (professores de Santa Catarina) é uma afronta... Está tentando mostrar a todos que sempre devemos dar um " jeitinho de burlar a lei" . Por favor senhor deputado rejeite a MP que chega à essa casa de leis e peça para que seus colegas façam o mesmo , não importando o partido a que pertencem, nesse momento ficarão conhecidos como amigos de ,professores, pais e alunos todos aqueles que nos apoiarem nessa causa que é da educação... O Governo não pode destruir o Plano de Carreira do magistério, conquistado com tanta luta!!! Derrubem a Medida Provisória e por favor lutem pela implantação da Lei federal nº 11.738/2008 , respeitando a Carreira do Magistério!
Obrigada

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Os links abaixo, levarão vocês para dois abaixo assinados de petição pública, e o segundo para aplicação de 10% do PIB para educação, assine... A causa é de todos
Lei do piso: 
 
 
10% PIB  JÁ::
 
Comentário enviado pela Professora Mariane para postagem:
Infelizmente, o governo esta passando informações que não condizem com a verdade.Solicitamos a comunidade escolar que nos compreenda e busque, pela voz de seus vereadores (telefone da Camara de Vereadores de Porto União= 35223348) e deputados eleitos,que a Lei 11.738 seja cumprida e, assim, a justiça seja feita. Dessa forma, retornaremos às escolas, cumprindo com a nossa obrigação.O exemplo vem de cima.
Abraços,
Professora Mariane Sohn, solidária a colocação feita pela professora Líria

Este documento foi apresentado na Assembleia Regional na tarde ontem, para recolhimento de assinaturas.Na quinta-feira (amanhã), das 10h as 12h, os professores estarão no cruzo da linha recolhendo assinaturas e, no sábado, estarão no mesmo local para finalizar este recolhimento, sendo que deverão ser entregues as folhas assinadas para a comissão do movimento. Participe, passe por lá e assine.

Por Uma República Democrática Na Educação
Desde a Grécia antiga, berço da democracia, a mais completa e suprema virtude que o homem podia cultivar e viver, na busca pela felicidade, era a Justiça, virtude esta que reunia todas as demais, dentre elas a coragem, a temperança, a magnanimidade. O Legislador, por sua vez, existia para lançar leis que tornassem as pessoas melhores, mais virtuosas. E como as virtudes não eram consideradas natas, ou seja, como elas precisavam ser desenvolvidas durante todo o processo de crescimento da vida de um ser humano, o caminho único para seu alcance sempre foi a educação. Educação que, historicamente, construiu a civilidade do povo e conquistou qualidade de vida. Educação que construiu um mundo de virtuosos, regidos pela Justiça.
Lamentavelmente, a história da civilização e suas lições não tem sido suficientes para o Governo do Estado de Santa Catarina. No último dia 06 de abril, o Supremo Tribunal Federal, guardião da Constituição e do estado democrático de direito reconheceu a constitucionalidade da Lei 11.738, a qual regulamentou o piso salarial Nacional do Magistério em todos os entes da federação. Com isso, ficou claro como a luz solar que a lei deve ser cumprida. Claro como a luz solar porque a Suprema Corte do país precisou dizer o óbvio, que a lei é válida, atende aos preceitos constitucionais, fundamenta-se na valorização da educação através da remuneração digna do professor e deve ser cumprida.
Acontece que o Governo do Estado de Santa Catarina, insiste no desrespeito à educação, mesmo com toda a força da ordem da Justiça, continua a ignorar e descumprir a lei, desrespeitando o Supremo Tribunal Federal. Não é razoável, um país que diz seguir os preceitos do estado de direito, no seio, no centro de seus princípios fundamentais, viole e flagele tão flagrantemente a educação, num ato que se não implica em desobediência civil, legitima mais do que nunca o movimento grevista e investida política para impeachment, movimento este que está amparado na Carta Magna – Constituição Estadual de Santa Catarina, seção III, no Art. 72, inciso VII, que prevê os crimes de responsabilidade sobre os atos do Governador do Estado em o não cumprimento da Lei 11.738/08 – implantação do Piso Nacional do Magistério Público e o não acatamento da decisão dos STF, do julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade nº 4.167/2010, tais descasos ferem os direitos constitucionais dos trabalhadores em Educação de SC.
Assim, nós trabalhadores da educação, exigimos dos Senhores Legisladores, deputados amigos da educação o apoio e o encaminhamento dessa investida de impedimento do Governador Raimundo Colombo – PSD e, consequentemente do Secretário de Educação, Marco Tebaldi
Esta exigência é cabível conforme as atribuições conferidas aos legisladores desta casa, em consonância com Capítulo II, Seção II, Art.40 inciso XX, “processar e julgar o Governador e o Vice-Governador do Estado nos crimes de responsabilidade, bem como os Secretários de Estado nos crimes da mesma natureza conexos com aqueles;”

Profissionais da Educação da Rede Pública de Santa Catarina.

Porto União, SC, 24 de maio de 2011

Notícia do Diário Catarinense

Ministra Ideli: “Proposta é inadmissível”
25 de maio de 2011
Ministra da Pesca, Ideli Salvati, considera “inadmissível” a proposta do governo Colombo/Eduardo para pagamento do piso nacional de salários aos professores. Em nota enviada a este blog, a ex-senadora petista explica como seria possível pagar o piso incidente de forma integral sobre a carreira. Conclui que a medida provisória “é uma das piores propostas apresentadas por um governador ao magistério catarinense.” Veja:
“Com a economia de R$ 1 bilhão dos cofres públicos, anunciada em janeiro, pelo governador de Santa Catarina, é possível pagar o Piso Nacional, reajustando de maneira digna os salários dos professores, sem achatamento. Caso o governo não tivesse conseguido obter a economia de caixa, então poderia desvincular o repasse do FUNDEB para a Assembléia Legislativa do Estado de SC e para o Tribunal de Justiça. Talvez o dinheiro não fosse suficiente, mas parte dessa desvinculação, algo próximo de R$ 36 milhões, ajudaria a pagar o Piso. Além disso, sabemos que o crescimento da arrecadação, em cerca de 17%, hoje a folha de pagamento do Estado está em 42,15%, pode chegar a 46,55% – limite prudencial – e 49% – limite legal, permitiria a valorização financeira dos servidores. Nessa matemática, a fórmula apresenta uma folga de 6,85%, para alcançar o limite permitido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. O resultado são professores e alunos em sala de aula, ensinando e aprendendo, e preparando o nosso país para seguir em frente. A proposta do governo do estado aos professores da rede estadual de ensino é inadmissível. A tabela achata os salários e desestimula o aperfeiçoamento do professor. É uma das piores propostas apresentadas por um governador ao magistério catarinense.”

Esta carta foi enviada pela professora Líria para ser postada em nosso blog, leia e divulgue... POSTADO POR : Chaiane Suellen

Comunicado


Nós, professores da rede pública do estado de Santa Catarina, diante da posição arbitrária do governo do estado, em não negociar, não dialogar com a classe do magistério, apenas apresentou a proposta e encaminhou o achatamento salarial, destruindo o plano de cargos e salários existente, ou seja, professor com magistério receberá o mesmo valor de um professor com mestrado e em final de carreira; assim, sentimo-nos lesados pela postura “coronelista”, portanto, após as deliberações da assembleia em Canoinhas e nas demais GERED do estado, em 24/05/2011, é preciso informar a comunidade escolar que a GREVE CONTINUARÁ POR TEMPO INDETERMINADO, ela é legítima e legal. A implantação do piso é lei!!
Nossa luta é:
  • Pela implantação imediata do Piso Nacional – lei 11.738/08;
  • 33% de hora atividade;
  • Concurso público;
  • Eleição direta para diretores.

Ainda é tempo de nos unirmos e somarmos forças contra o sistema que nos oprime e tenta nos calar, professoras e professores é nossa luta que está sendo, enfim, vista pela sociedade e comunidade.

Professora Líria

(Membro da Comissão Municipal de Greve)

25 de maio de 2011

terça-feira, 24 de maio de 2011

Manifestação no Centro de Porto União
 Professores reuniram-se sábado 21 de maio no centro de Porto União e fizeram uma manifestação bonita e pacífica pelo cumprimento imediato da lei do piso, distribuiram textos com esclarecimentos à população e conversaram com pais de alunos ganhando adesão ao movimento,alguns pais inclusive fizeram questão de assinar a ata do encontro, as pessoas que por lá passaram falaram no megafone palavras de apoio e incentivo à categoria entre elas o vereador Joaquim Boeno de Oliveira e o ex vereador hoje líder da pastoral operária Manoel Messias, confira as fotos do evento...
POSTADO POR : Chaiane Suellen




Arrastão nas escolas:




Ida a Canoinhas na assembleia do dia 17 de maio:





segunda-feira, 23 de maio de 2011

No site do SINTE, agora:
-Audiência com Governo frusta o magistério. Greve continua!

Nada sabemos sobre a última proposta feita pelo governo, até o momento. O SINTE ainda se encontra em reunião, em Florianópolis.
A comissão Municipal do Movimento estará em reunião hoje, as 17h e 30m. Logo após, passaremos maiores informações.
 
Nossa agenda permanece a mesma, para o dia de amanhã. Quem ainda não nos passou o nome e RG - para quem irá para Canoinhas amanhã-, favor fazer com urgência, pois estamos com poucos lugares e precisamos passar para a empresa de onibus a lisitagem.
 
No mais, precisamos mais do que nunca demonstrar nossa FORÇA, nossa UNIÃO, convidando os colegas que ainda não aderiram a fazer frente a mais esta afronta do governo de SC.
 
Entendendo que qualidade de educação passa, em primeiro lugar, pelo vencimento de cada professor (a), agradecemos a postura daqueles que, dignamente, seguem em busca da justiça.

Professora Amanda Gurgel ,ela pode estar distante geograficamente ,mas tem uma realidade muito proxima de nossos professores ,neste domingo ela esteve no Faustão e falou tudo que acho na minha opinião todos os professores de SC falariam se pudesem estar no lugar dela !!ASSISTAM vocês vão gostar.

http://www.youtube.com/watch?v=yFkt0O7lceA&feature=email

Professora Ceila falando aos vereadores na Câmara dos Vereadores de Irineópolis ....

http://www.youtube.com/watch?v=o5RJIm972t8

Vereador Pasqualin de Porto União, fala sobre o piso nacional para os profissionais da Educação no dia 17 de maio de 2011:

http://www.cmpu.sc.gov.br/videos/index.php?sec=ext&act=read&id=MZnd37622968f

Professor Celestino, fala aos vereadores sobre a necessidade e implantação do piso no dia10 de maio de 2011.

http://www.cmpu.sc.gov.br/mznews/index.php?sec=ext&act=read&id=MZn41e24bd726

Esta carta foi escrita pela professora Carmem, endereçada aos Deputados mas serve para que todos nós reflitamos sobre a legalidade da greve dos professores de nosso estado...


Porto União, 20 de maio de 2011.
Senhor(a) Deputado(a)!
Os Profissionais do Magistério estão em greve por justiça aos seus direitos. Pois fomos vitoriosos pelo STF, quando os ministros da nossa suprema corte decidiram que é constitucional o Piso Salarial Nacional do professores.
Venho por meio desta em nome dos profissionais da educação do Estado de Santa Catarina pedir o seu apoio e a cobrança do Senhor Governador, para que a lei federal 11.738/2008 que trata do Piso Nacional do Magistério e da Hora-Atividade seja cumprida imediatamente.
Somos sabedores que Estados ou Municípios que não tenham condições de pagar todo o piso salarial receberão uma complementação da União, desde que as incapacidades desses entes federativos sejam justificadas. Por outro lado, os prefeitos ou governadores que não cumprirem a Lei do Piso Salarial responderão por crime de improbidade administrativa.
Deixemos claro que o valor estabelecido pelo Piso ainda está longe do que deveria ganhar o professor, principalmente pelo fato de que continuamos recebendo menos do que profissionais de outras áreas com a mesma formação e a mesma jornada de trabalho. Sabendo-se da lei e direito do profissional da Educação, ainda temos que lutar para se fazer cumprir a lei.
Infelizmente o Governo de Santa Catarina trata com descaso e escárnio os profissionais da educação que outrora lhe prestaram serviços sempre cumprindo todas as suas exigências. Desde que o Piso Salarial foi estabelecido pela Lei 11.738/2008 buscamos o dialogo para ter garantidos os nossos direitos. No entanto o que encontramos como resposta do Governador foi: ? Nenhuma proposta!!!
Quero que o Governador se conscientize que relação de trabalho não é jogo de forças. É trato entre partes, mediado pela legislação. E, findada a relação, esta não deve resultar em disputa, contenda ou conflito. Não se discute aqui quem é o mocinho ou o bandido nesta história. Mas, se é para usar a nem sempre correta linguagem, que brademos, então: JUSTIÇA , QUEREMOS QUE SE CUMPRA A LEI IMEDIATAMENTE PISO JÁ!!! A nossa luta é legal e não estamos desrespeitando ninguém.
Quero que saibam que não desistiremos de nossa luta, da luta com palavras e ações éticas e corretas, mas devemos o devido respeito

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Blog dos professores:

http://celgla.blogspot.com/
http://historiofobia.blogspot.com/
http://colegiocidgonzaga.blogspot.com/
http://rodadasletras.blogspot.com/
http://mariane-tecendoideias.blogspot.com/
Bem, tenho acompanhado pela mídia televisiva  notícias sobre a paralisação, sabem o que vi ??? Nada! Não estão dando importância , até quando isso vai acontecer? Enquanto Colombo está na Europa  fechando parcerias de reciclagens ( coisa importante mas não urgente)  alunos de escolas estaduais de SC estão sem aulas ,e os professores sem seu merecido Piso Salarial ( piso este que por sinal é LEI), tá na hora de acordar ,tem muita coisa errada por ai!!

                    POSTADO POR : Chaiane Suellen

A carta que postamos a seguir foi enviada pela professora Líria:

 
Porto União, 19 de maio de 2011

Greve de 2011


Professores, trabalhadores da educação,

Eu, Líria, sempre tive grande admiração pela profissão do magistério e pela postura e comprometimento frente à vida e pelos grilhões que se pode romper em sala de aula, lutando que a justiça seja feita.
Agora, estamos gozando tempo de justiça em nosso trabalho, a implantação do piso salarial é só uma questão de UNIÃO para que seja efetivamente implantado em nosso estado; a lei nos é favorável, a sociedade, em sua grande maioria, nos compreende em nosso ato legítimo de GREVE e enfim, seremos remunerados com o valor que nos trará mais alento profissional e pessoal; que nos garante uma vida financeira mais digna; e o mais importante, podendo usufruir do sentimento de justiça feita, de luta pela classe, e que provamos mais uma vez, que a máxima está certa: somente a” UNIÃO faz a força”.

Assim, a PARTICIPAÇÃO do movimento de greve é: olhar para a coletividade e somar; romper com as correntes que nos amarram ao MEDO de perder; (perdemos o quê?); é arrebentar as cordas que nos amarram a intolerância, ao descaso e à burocracia; é aposentar-se com dignidade; é ter orgulho de sermos professoras.

Professor(a): ainda é tempo de somarmos; ainda é tempo de indignarmos com a atual situação, ainda é tempo de dizer basta ao que nos OPRIME, junte-se a nós, com certeza seus alunos/suas alunas sentirão mais orgulho da / do professora / professor e profissional que és.
Estenda este apelo ao seu coração, deixe que ele lhe mostre a razão e una-se a nós.

Desejos de reflexão

Professora Líria
Mãe e professora de alunos de escola Pública SC.